Uma nova geração, uma nova mídia

Inicio > Internet > Uma nova geração, uma nova mídia    
30/06/2010

O crescimento de pessoas à procura da formação superior tem chamado minha atenção nesses últimos anos. Atualmente, o público universitário é formado, em sua grande maioria, pela geração Y. Entendemos que esses jovens são altamente tecnológicos, ousados e acostumados a realização de multitarefas. Mas, será que esses universitários deixaram para trás hábitos de antigos grupos para, enfim, se tornarem o mais digitalizado e dinâmico grupo a frequentar o ensino superior?

A resposta para isso talvez esteja em um estudo realizado nos Estados Unidos com 4.374 alunos de 13 instituições de ensino. A pesquisa mostrou que a maioria deles possuía computadores pessoais e celulares, diferente de 10 anos atrás. Porém, apenas 12% deles tinham computadores de bolso e uma minoria de 20% já tinha criado conteúdo próprio para internet. Então, não é necessariamente verdade que esta geração seja composta somente de pessoas altamente qualificadas a navegar na internet e conversar em redes sociais.

Dessa maneira, podemos citar um simples exemplo de que esses jovens não são extremamente desligados aos comportamentos antigos. Você ou seu filho ainda utiliza caderno? Por alguns motivos, é praticamente inviável que alguém leve à faculdade um notebook. Normalmente, quando se ingressa em uma universidade, não estamos com a situação financeira estabilizada, pois disponibilizamos parte de nossa renda para o fim educacional, ou seja, pagamos matrículas, mensalidades, re-matrículas, compramos apostilas, livros, cadernos e mantemos esse ciclo por cerca de quatro anos. Comprar um computador móvel pode não estar ao alcance deste público. Outro ponto a se pensar é a locomoção e segurança do objeto. Muitos alunos utilizam transporte público para chegar à faculdade. Horário de pico, metrô ou ônibus lotado e mochila pesada tendem a não combinar.

Isso não quer dizer que a geração Y deixou de ser inovadora e despojada. Eles assimilam com agilidade novas informações e, por serem ambiciosos e questionadores, modificaram o modo como os líderes têm se relacionado aos seus subordinados. Prova disto é o comportamento existente em sala de aula. A liberdade para a troca de ideias e exposição de opinião são características cada vez mais presentes no ambiente universitário. Mas uma coisa é certa: o espiral com folhas ainda é o meio de anotações mais utilizado pelos estudantes. Sua praticidade e forma única de organizar o conhecimento continua a conquistar diferentes gerações.

Segundo o Censo da Educação Superior de 2008, o número de matrículas obteve um aumento de 650 mil em 1999 para 2,5 milhões em 2008. Porém, a indústria de mídia do país permaneceu quase estável quando analisamos que os universitários tendem a ser consumidores finais de determinados produtos. Como estar próximo ao seu cliente, durante o período que a pessoa permanecer na universidade? Qual a melhor forma de interagir com esses alunos dinâmicos e ágeis, como trocar informações de maneira rápida e eficaz? Pensando nisso, a DRT Mídia, empresa especializada no desenvolvimento de mídias, imaginou criar algo que contribuísse com a educação desses jovens e, ao mesmo tempo, atendesse a necessidade das empresas de se comunicarem com esses futuros formadores de opinião.  Assim, trouxemos para o Brasil o conceito Q Caderno!

Inspirado em modelos internacionais, o produto é uma novidade no mercado nacional e vem para atender a esta demanda criada pela ativa geração Y. Sua ideia central é distribuir gratuitamente para os alunos universitários um caderno para anotações diárias e, com isso, manter a proximidade entre consumidor e patrocinador, uma vez que as empresas presentes no Q Caderno! terão suas marcas na contracapa, divisórias ou bolsa cartão durante todo o semestre.

Assim, com o mercado universitário em pleno desenvolvimento, precisamos de inovação e criatividade para atrair e, principalmente, estimular os jovens. Nesse sentido, o marketing passa por um processo de transformação, na qual utiliza cada vez mais novas mídias para se aproximar do seu público, ou seja, para se destacar nesse mercado concorrido, é importante reunir qualidade, novidade e responsabilidade social.

*Maurício Carmagnani é diretor da DRT Mídia, empresa especializada no desenvolvimento de novas mídias. Administrador de empresas e MBA em Finanças, pela Thunderbird (The Garvin School of International Management).

Deixe um Comentário